Encontrar a sua vocação é a chave para uma vida significativa. Mas o fato é que as pessoas estão perdidas por que não tem um proposito e estão na verdade tentando desesperadamente descobrir sua vocação para tornar suas vidas mais significantes.

Será que você é uma pessoa comum ou tem algo especial dentro de você apenas esperando para ser descoberto?

🎧 Ouça o PODCAST deste artigo

Assista em vídeo

Eu percebo na verdade; após estes anos orientando as pessoas no caminho do autoconhecimento e do desenvolvimento pessoal através da numerologia; que na realidade o maior problema das pessoas hoje em dia é confundir prosperidade com realização pessoal.

O fato é que as pessoas estão perdidas por que não tem um proposito e estão tentando desesperadamente descobrir sua vocação para tornar suas vidas mais significantes.

A palavra VOCAÇÃO é um termo derivado do verbo no latim “vocare” que significa “chamar”.

Mais precisamente, significa passar a vida fazendo aquilo que você realmente gosta de fazer.

Existem duas principais grandes decisões na vida de todo ser humano, em torno das quais o giram os primeiros 25 a 30 anos de nossas vidas que é :

  • qual ocupação buscar e com quem casar.

Encontrar a sua vocação é a chave para uma vida significativa, mais do que casar e formar uma família, que é o segundo principal propósito da maioria das pessoas.

Quando eu pergunto as pessoas nas consultas numerológicas  o que estão fazendo, e o que elas realmente gostam de fazer. A maioria delas responde dizendo no que ou em que trabalham, que oportunidades a vida está ou não lhes oferecendo e que por algum motivo se sentem infelizes.

Em resumo elas dizem; 

“eu não sei o que fazer da vida, por que eu não sei o que me faz feliz.”

A grande maioria delas esta mais preocupada em servir o mundo do que consigo mesmas e com o que realmente gostariam de fazer.

Howard Thurman, famoso filosofo afro americano e ativista dos direitos civis, e um dos mentores de Martin Luther King., em seu livro “Jesus e os Deserdados” de 1949 deu o seguinte conselho:

“Não pergunte o que o mundo precisa. Pergunte o que faz você se tornar vivo, e vá fazê-lo. Porque o que o mundo precisa é de pessoas que ganharam vida. ”

Simplificando; seu trabalho ou carreira não é sua vocação, seguir uma vocação significa viver sua própria vida.

O fato é que depois que você descobre sua vocação, você deixa de lado essa noção boba de que Deus tem apenas um plano para você e para sua vida, por que é sua vocação que passará a determina o seu caminho, e não o contrário.

O problema é que muitas pessoas acreditam que ter uma vida significativa é fácil.

Você pode ter uma vida fácil ou significativa, mas não pode ter as duas então você terá que escolher.

Sucesso e realizações não são indicadores de vocação, muito menos de realização.

Você pode estar no topo, ter todo o poder ser o centro das atenções e mesmo assim ainda se sentir uma pessoa incompleta, vazia e infeliz.

Na verdade, você encontra sua vocação no anonimato, naquilo que geralmente está fora dos holofotes fora das atenções e longe do dinheiro.  Em geral você pode encontrar sua vocação onde há esperança, inspiração e justiça principalmente.

Você sabe que descobriu sua vocação quando você percebe que é capaz de inspirar e dar esperança as pessoas. Em geral apesar de ser para você sua vocação nunca é sobre você.

Sua verdadeira vocação é aquilo que lhe conecta com o mundo. Então a primeira coisa que você deve se perguntar é:

  • Quando ou em que situações você se sente mais vivo?

A segunda é:

  • Se dinheiro não fosse problema o que você faria?

E a terceira é:

  • Se você tivesse apenas mais uma semana de vida como você gastaria esse tempo?

Quando suas habilidades e sua maneira única de se motivar se conectarem a uma experiência, você vislumbrará sua vocação. Você perde o interesse em questões superficiais, você deixa de viver no passado e no futuro e passa a viver o momento e finalmente; você passa a ver e entender  o mundo como ele é, não como você gostaria que fosse.

Eu diria que a grande maldição que nos vivemos hoje é a superficialidade e a mediocridade.

Todos procuram viver dentro de um padrão e querem desesperadamente seguir esse padrão, para serem iguais aos outros.

Infelizmente, vivemos uma era de modismos, de ilusão e de fé. A razão pela qual as pessoas se sentem perdidas na vida é por que elas vivem suas vidas com base no que as outras pessoas acreditam ser certas para elas, com base no que as outras pessoas pensam ser verdade e prestam mais atenção no que os outros fazem e tem a dizer do que em suas próprias vontades.

Poucas pessoas tem a coragem de questionar e a maioria tem preguiça de pensar. Acabam construindo suas vidas com base nos pensamentos , crenças e ideias que lhes foram transmitidos desde muito cedo por seus pais, familiares, professores, amigos, sociedade e todas as pessoas com quem interagiram e convivem.

E o sentimento de pertença que lamentavelmente leva as pessoas a pensarem em si mesmas como membros de uma coletividade na qual símbolos expressam valores, medos e aspirações.

Eu não gosto de tocar nesse assunto por que hoje em dia qualquer coisa que se fale sobre certas questões acaba sendo mal interpretado, mas é o sentimento de pertença que cria a maior barreira entre as pessoas e que faz destacar características culturais, raciais, preconceituosas e separatistas.

Existe uma hipnose ou seria mais uma preguiça mental coletiva quem sabe; que leva as pessoas a não questionarem  a autenticidade das crenças, e se quer a avaliarem se essas crenças e padrões tem  algo a ver com quem são.

É por isso que continuam construindo, criando e moldando suas vidas com base no que as outras pessoas acreditam estarem certas.

As pessoas estão cada vez mais presas à banalidade e a mediocridade.

Viver preso a mediocridade não é uma ofensa, significa se contentar com o mínimo, ter qualidades, mas ao invés de tentar se destacar em alguma coisa querer viver uma vida limitada e moldada pelo mediano, simplesmente para ser como todos.

Esse é o motivo pelo qual as pessoas se sentem perdidas na vida; porque são governadas pelo medo. e valorizam mais as opiniões e vontades dos outros do que as suas próprias vontades e opiniões.

As pessoas não confiam mais em si mesmas, mas confiam nos palpites e intromissões de outros.

Pode não parecer, mas tempo não é de graça nem ilimitado; muito pelo contrário. Seu tempo é escasso e você paga caro por cada segundo que desperdiça em sua vida. Então não o gaste seu tempo vivendo as ideias e a  vida de outra pessoa.

Não fique preso ao dogma ao pragmatismo  e não permita jamais que a opinião e a vontade dos outros prevaleça ou molde sua própria vontade e opinião.

Duas forças básicas motivam as pessoas o medo e a paixão.

Se você é motivado pelo medo você se fecha para a vida e passa a viver uma realidade frustrante opressiva e limitada.

Se você é motivado pela paixão você se abre para a vida e passa a viver uma realidade  intensa e fascinante sem limitações.

Para descobrir sua vocação é preciso ter coragem, ser ousado e principalmente destemido e você não pode nem deve aceitar de forma alguma que ser como todos é o suficiente para você.

Se você quer encontrar sua verdadeira vocação, o primeiro passo é não acreditar em nada simplesmente porque você o ouviu.

Não acredite em nada simplesmente porque é falado e espalhado por muitos.

Não acredite em nada simplesmente porque é encontrado escrito em seus livros religiosos.

Não acredite em nada meramente sob a autoridade de professores, especialistas ou sábios.

Também não acredite nas tradições por serem antigas porque elas são tendenciosas e foram transmitidas e distorcidas por muitas e muitas gerações, quanto mais antiga a tradição mais deformada e mais fantasiosa ela se torna.

Aprenda a analisar, observar e pensar sobre seu próprio ponto de vista e perspectiva, quando você entender que alguma coisa concorda com a razão use sua imaginação e criatividade para tirar o melhor proveito dela.

Grade parte das pessoas têm dificuldade em abandonar certos valores e conceitos por que são tomadas pelo medo e pela falta de coragem em se aventurar no desconhecido, então elas continuar vivendo um sofrimento que já lhe é familiar.

Elas não conseguem entender que a vida tem um fluxo natural que está sempre trabalhando a seu favor e optam por se manter em sua zona de conforto pela falsa sensação de controle; e com isso acabam se  desconectando de si mesmas e se sentindo  cada vez mais perdidas e sem objetivos.

A falta de motivação e paixão pela vida é que faz você se sentir perdido e que lhe dá a sensação que sua vida não tem sentido ou um propósito.

Ninguém nasce predestinado a uma vida de fracasso ou sucesso, se o objetivo escolhido é bom para os outros, mas não é bom o suficiente para você;  você vai passar anos trabalhando em direção a algo que não lhe tratará nenhuma realização e certamente ficará desanimado, entediado e se verá totalmente sem rumo e sem um propósito na vida.

A sociedade nos diz que estamos no mundo do trabalho e que para sermos bem sucedidos devemos escolher e dedicar nossas vidas a uma profissão.

Mas, não pode ser qualquer profissão ou carreira, tem que ser algo que lhe de status, poder e se no entendimento das outras pessoas sua vocação não lhe dá status e poder então ela é inútil; você a evita e faz aquilo que é importante para os outros e não para você.

O conselho que eu posso dar a você é que se você quer realmente encontrar a sua vocação é:

procure onde os holofotes não brilham.

Ou faça seu Estudo Numerológico Pessoal. Depois de entender quem você é; e o que você é, você pode explorar sua vocação com muito mais facilidade.

%d blogueiros gostam disto: