MESA RADIÔNICA.

Com o aumento de interesse por todo o tipo de estudos das chamadas ciências esotéricas, vejo muitos erros sendo cometidos no que se refere a técnicas de radiestesia, radiônica e psiônica.

E como tenho recebido muitas perguntas à respeito de como se fundamenta Terapia Quântica e a radiônica que é sua base, achei por bem descrever sua metodologia com base em fundamentos físicos.

Psiônica é basicamente uma técnica radiestésica aplicada à cura.

A psiônica se originou nos trabalhos dos abades franceses e do médico inglês Georges Laurence. 

Em suas pesquisas Laurence descobriu a realidade da teoria patológica unitária de McDonagh, que diz:

“Todas as enfermidades são apenas aspectos, sob diversas formas, do desequilíbrio das proteínas do corpo”.

A Terapia Quântica se fundamenta justamente, nos princípios da radiestesia, radiônica e psiônica.

Onde a detecção dos fenômenos estudados é feita através de técnicas radiestésicas.

Este termo se aplica às manifestações chamadas de ondas de forma, com base no EIFs – Emergências, Influências e Formas, onde a detecção dos fenômenos estudados é feita através de técnicas radiestésicas.

A prática da radiestesia não necessita de nenhum tipo especial de meditação, mentalização, evocação ou invocação. 
Temores em relação a posturas, atitudes, orientação, não possuem nenhum fundamento lógico.

Práticas, como por exemplo acender incenso, lavar as mãos, usar sal grosso, o uso de determinados símbolos sobre as mesas ou pendurados nas paredes, não tem nenhuma função radiestésica ou psiônica.

Estão na verdade relacionados apenas a superstição ou com algum tipo de crença da pessoa.

Qualquer pessoa que estude os princípios da radiestesia pode praticar a radiestesia, não são necessários nenhum atributo paranormal para isto.

Porém, como acontece em todas as atividades humanas, uns serão melhores e outros não.

A principal regra para se obter bons resultados é: praticar, praticar e praticar.

A radiônica, como se percebe, permite a interação da mente psicoenergia com as energias sutis, gerando um efeito físico na matéria viva; vegetal e animal e também na matéria não-viva; água, solo, metal etc.

A radiação cósmica é uma ultra radiação rica em energia. 
A primária provem do espaço exterior e a secundária, da atmosfera terrestre.

A radiação primária é formada por núcleos leves e semipesados e, principalmente, por prótons.

Das reações das partículas primárias com as partículas da atmosfera resulta a radiação secundária.

A interação das partículas primárias e secundárias dá-se através de processos nucleares múltiplos produzindo prótons, híperons, mésons, elétrons, pósitrons e neutrinos.

E com sua grande energia penetram em nossos corpos produzindo violentos choques em certos átomos; portanto, todos os nossos processos vitais interagem com essa energia.

Nosso equilíbrio fisiológico deve-se em partes à interação de nossas células com as partículas Cósmicas que podem inclusive ser atraída mentalmente, conforme comprovou o Dr. Baraduc em 1900 na Gruta de Lourdes/França que percebeu quando estudava uma multidão de fieis que este fenômeno ocorria em função de um poderoso impulso mental dos fiéis que atraia magneticamente os corpúsculos curativos da radiação cósmica.

Assim os famosos milagres de Lourdes puderam ser explicados como sendo a interação do campo de fótons (radiação cósmica) com o biocampo dos fiéis.

Os fótons são dotados de spin (rotação de um elétron em torno de eixo próprio) e, portanto, são magnéticos; e assim poderem interagir com o campo biomagnético.

Em 1981 Rupert Sheldrake, no livro A New Science of Life, sugere que os sistemas auto organizadores, em todos os níveis de complexidade, incluindo moléculas, cristais, células, tecidos, organismos e sociedades de organismos, são organizados por “campos mórficos”.

Um tradicional exemplo de ressonância mórfica é a experiência com os macacos:

Onde uma família de macacos, habitando uma ilha, era alimentada pelos cientistas que controlavam a experiência.

Um dos macacos foi ensinado a lavar as batatas que lhe eram fornecidas como alimentação, antes de comê-las.

Algum tempo depois, todos os indivíduos do mesmo grupo lavavam também as batatas antes de se alimentarem.

Ao mesmo tempo, um outro grupo de macacos, em uma outra ilha próxima e sem nenhum contato com a primeira ilha, começou a apresentar o mesmo comportamento.

Isto é a ressonância mórfica; o fenômeno da influência do semelhante sobre o semelhante através do espaço e do tempo

Percebeu-se pelo experimento que este fenômeno não diminui com a distância, e que também não envolve transferência de energia.

Mas sim de informação, exatamente como acontece em uma rede de dados via satélite.

Por esta teoria podemos entender que a repetição de certos eventos na natureza não está relacionada com leis eternas ou imateriais, mas sim com a ressonância mórfica.

A teoria da transferência de energia nos mostra como a energia dos testemunhos em radiestesia se transmite a distância e se faz presente em qualquer lugar onde desejemos detectá-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.