O COMÉRCIO UMBANDISTA

Todos que seguem minhas postagens e materiais já sabem da minha paixão e história na Umbanda e qualquer tema voltado a espiritualidade.

Já escrevi livros, infinitas matérias e reportagens sobre o assunto, porém de uns tempos para cá, assim como muitos Umbandistas sérios, me sinto envergonhado com a sem-vergonhice e oportunismo que transformou uma religião que deveria ser o orgulho e patrimônio brasileiro.

A Umbanda nasceu gratuita e deve ser gratuita.

Mas por que vemos cada vez mais cobranças nos “terreiros” de Umbanda?

Não estou falando apenas da nova moda de “pais e mães virtuais”, estou falando da relação promíscua que se criou entre espiritualidade e o dinheiro.

Como já expliquei em minha palestra sobre A CABALA DO DINHEIRO; o dinheiro não é o vilão nem um coisa ruim.

O dinheiro e uma energia que materializa nossos desejos pessoais ou extravasa a ganancia, egocentrismo e oportunismo de alguns.

O erro e os males não estão no dinheiro, mas na forma oportunista como é utilizado.

As “trocas e favores” financeiros na Umbanda é uma discussão polêmica que existe praticamente desde sua origem como religião.

A princípio a espiritualidade deveria ser movida pela paixão e pelo do espírito humanitário;pela caridade, para a caridade e visando a evolução espiritual.

Com o surgimento das práticas religiosas e omissão das associações que não impõe qualquer limite, cobrar pode ser imoral, mas infelizmente e legal; e não me refiro aqui ao candomblé, mas sim a esta prática na Umbanda

Um dos principais FUNDAMENTOS e CARACTERIZAÇÃO da UMBANDA é a CARIDADE, então se é um fundamento e característica; ninguém precisa ser muito esperto para entender que cobrar por serviços de feitura de santo, ritual que se quer faz parte dos fundamentos Umbandistas, cursos de desenvolvimento ou por trabalhos que na verdade são ajuda espiritual, está errado.

Para driblar os FUNDAMENTOS, e justificar o comércio, surgiram infinitas derivações e nomes que ajudam a movimentar milhões de reais através de atividades tidas como de Umbanda, para aquele que pretende se iniciar na religião. Que caracterizo como Umbanda New Age.

Curso Mediúnico, Curso de Desenvolvimento Mediúnico, Curso de Fundamentos da Umbanda, Curso de Iniciação na Umbanda, Curso de Orixás, Cursos de Magia, Cursos de Entidades, Curso de Preparo, Feitura de Cabeça, estes são alguns exemplos dentro de uma infinidade de artifícios utilizados para extorquir a boa-fé e fé dos leigos.

Agora pergunte aos PADRASTOS E MADRASTAS DE SANTO; como aprenderam tudo isso?

A resposta PASME:

Me foram ensinados pelos meus guias, meus mentores!!!

Isso é óbvio; aí você pergunta:

E quanto “seus” guias e mentores lhe cobram por estes ensinamentos e principalmente: Quanto DEUS lhe cobrou por este DOM?

Neste caso a resposta é inconsistente e cobfusa, mas todos terminam sobre uma mesma alegação:

O terreiro não se mantém sem a ajuda financeira, os cursos e cobrança de trabalhos; são uma forma de manter a estrutura da casa.

Pergunte agora:

Por que não fecha as portas então?

E a resposta  é sempre a mesma; justificada de forma poética.

É missão, minha obrigação e ajudar as pessoas, levar meus ensinamentos e ajuda a todos que dele precisam.

FALACIA!!!

Na verdade, a maioria destes Padrastos e Madrastas de Santo, fazem da Umbanda uma profissão e criam estes artifícios poéticos, para obter seu lucro.

Basta notar que a maioria não desenvolvem outra atividade; fazem do Sacerdócio, sua profissão.

Agora pensem!

No espiritismo, os cursos de preparação e desenvolvimento mediúnico chegam à durar anos e curiosamente todos são gratuitos, ninguém paga por eles:

Por que?

Simples.

Por que no espiritismo, não se prega a ilusão material nem aos consulentes nem aos médiuns. Quem segue o espiritismo, busca o desenvolvimento espiritual, não as benesses materiais e a satisfação das paixões carnais.

No espiritismo os cursos, treinamentos e assistência são dados por voluntários, assim como o mentor aquele que comanda os trabalhos também o faz. Fora de seu horário de trabalho, geralmente aos fins de semana ou a noite.

Já a Umbanda New Age é praticada por seus padrastos e madrastas por 48 horas; em 2 planos: 24 horas nos terreiros e 24 horas no pano virtual.

Isso mesmo a Umbanda New Age tem dois planos apenas; o MATERIAL e o VIRTUAL, o espiritual é só uma estratégia de marketing.

O MARKETING ESPIRITUAL:

Você está sofrendo com algum problema ou dificuldade em sua vida, o que faz?

Procura um padrasto ou madrasta de santo real ou virtual que certamente vai lhe prometer e garantir a cura milagrosa a seus males.

A “ENTIDADE ORIENTADORA” lhe diz que está sob alguma influência negativa; no popular trabalho feito, ou que sua mediunidade está fora de controle, que suas entidades estão lhe “castigando” para que você desenvolva sua mediunidade.

A suposta “ENTIDADE ORIENTADORA”, lhe vende subliminarmente, isso mesmo, VENDE, o trabalho ou curso de desenvolvimento; para educar sua mediunidade ou para desfazer o trabalho feito, e claro; a vítima acredita e aceita.

Em um terreiro das antigas, como o de Maria Escolástica da Conceição Nazaré, para os Umbandista New Age, que só conhecem os livros de contos de fadas e ficção de magos maçônicos, que se dizem “Pai de Santo”; Maria Escolástica da Conceição Nazaré, é conhecida como MÃE MENINHA; e antes que falem besteira; não, ela não era da Umbanda e sim do Candomblé, mas é um exemplo à ser seguido.

Ou de Mãe Aninha, Zeladora da Casa de Candomblé Ilê Axé do Opô Afonjá, em São Gonçalo do Retiro, que aproveitou-se de uma viajem ao estado do Rio de Janeiro que na época era ainda a capital do Brasil, para solicitar uma reunião com Getúlio Vargas, na época Presidente da República, para discutir sobre a proibição do uso dos atabaques nos Terreiros baianos. O que deu origem a famosa Festa da Lavagem da Escadaria da Penha.

E como estamos falando de Umbanda não de Candomblé; não poderia deixar de citar Zélio Fernandino de Moraes; o Zélio que em aos 17 anos de idade, em 16 de novembro de 1908, deu manifestação ao Caboclo da Sete Flechas, o senhor dos caminhos, que, inconformado com o preconceito racial e cultural dos praticantes kardecistas, anunciou às 20:00hs deste dia, em seção na Federação Espírita de Niterói; a criação uma nova religião onde os negros e índios considerados até então espíritos “atrasados”, teriam a oportunidade de se manifestar e dividir com a humanidade seus conhecimentos. Essa nova religião para os Umbandistas New Age que não sabem é a Umbanda; a verdadeira Umbanda.

História à parte; em um Terreiro de Umbanda das antigas; a pessoa seria convidada a compor o grupo de trabalho como Cambone, para conhecer os ritos e fundamentos.

Nos dias específicos, participaria das giras de desenvolvimento mediúnico, de forma gratuita, no máximo com uma contribuição financeira opcional e não obrigatória; dispensável para quem não tem condições financeiras.

Se realmente estivesse sob algum tipo de magia ou encantamento, como gostam de dizer os New Age´s; seria convidado a participar da gira aberta, para que os guias, lhe orientem e desfaçam o mal; GRATUITAMENTE.

E se o consulente ousasse insinuar o desejo de algum tipo de trabalho de magia negra, como amarração entre outros, receberia uma orientação espiritual; verdadeira e correta do Guia, que certamente lhe traria conforto e  faria mudar sua ideia percebendo o erro que estava por cometer e que este não seria o caminho que resolveria suas aflições.

Encerrando.

Não importa o que esteja pedindo, o que lhe está sendo oferecido, muito menos à que estão lhe induzindo; se é cobrado não é ajuda espiritual e não é UMBANDA.

Ajuda espiritual não pode ser cobrada, não se cobra por aquilo que DEUS LHE DEU DE GRAÇA!

“SÓ VOCÊ PODE MUDAR SUA VIDA”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *