13 DE JUNHO DIA DE SANTO ANTÔNIO

Fernando Antônio de Bulhões, nascido em Lisboa; Portugal, em 15 de agosto de 1191 ou 1195, não se sabe ao certo, apenas é sabido que viveu na virada do século XII e XIII. De família nobre e rica, era filho único de Martinho de Bulhões, oficial do exército de Dom Afonso e de Tereza Taveira. Sua formação inicial foi feita pelos cônegos da Catedral de Lisboa, onde aos 19 anos foi frade agostiniano no Convento de São Vicente de Fora.

Vivendo inicialmente em Portugal, posteriormente foi transferido para a Itália, França, Bolonha percebendo que sua morte estava próxima pediu para ser levado à Pádua, onde morreu por volta dos 36 ou 40 anos, por este motivo é conhecido também como Santo Antonio de Pádua.

Santo na Igreja Católica, Guardião de Exú na Umbanda, António era um dos intelectuais mais notáveis de Portugal do período pré-universitário, lecionou em universidades italianas e francesas e foi o primeiro Doutor da Igreja franciscano.

Protetor das coisas perdidas, protetor dos casamentos, protetor dos pobres, Santo Antônio; o Santo dos milagres, fez muitos ainda em vida. Em suas pregações pelas praças e igrejas, cegos, surdos, coxos e muitos doentes ficavam curados, com tantos milagres após sua morte, onze meses após era beatificado e canonizado, pelo Papa Gregório IX, na catedral de Espoleto, em 30 de maio de 1232, tendo sido até o processo mais rápido da história da Igreja.

Em 1934 foi declarado Padroeiro de Portugal, em 1946 foi proclamado Doutor da Igreja pelo Papa Pio XII.

Foi ainda quando Frei, que Fernando Antônio de Bulhões, redigiu os Sermões, tratados sobre a quaresma e os evangelhos, que estão impressos em dois grandes volumes de sua obra.

O Santo Casamenteiro:

Entre suas pregações o Frei franciscano fazia muitos discursos a respeito do amor, porém a fama de “Santo Casamenteiro”; vem do que seria uma lenda popular, segunda uma das versões da lenda; em Nápoles, uma donzela desesperada que queria se casar, mas não tinha dote, ajoelhou-se aos pés do Santo pedindo sua ajuda, milagrosamente, recebeu bilhete e foi orienta a procurar um comerciante específico.

O bilhete orientava o tal comerciante a entregar à donzela o peso do papel em moedas de prata achando se uma brincadeira; e vendo que o peso daquele papel era mínimo, o comerciante o coloca na balança é surpreendentemente foram necessários 400 escudos de prata para equilibrar a balança, diante do inimaginável, o comerciante lembra-se ter um dia, prometido 400 escudos de prata a Santo Antônio, sem nunca ter cumprido com sua promessa, entende que aquela era a forma do Santo cobrar-lhe a dívida, e entrega as moedas de prata a donzela, que pôde assim finalmente se casar.

Outra versão da lenda conta que a donzela devota e irritada, após semanas oferecendo flores ao Santa para conseguir um marido, cansa-se de esperar e arremessa a imagem do Santo pela janela, atingindo em cheio a cabeça de um rapaz que passava constrangida, mas ainda revoltada, teria a donzela ido pedir desculpas ao rapaz pelo mau feito e milagrosamente, acabaram-se por se apaixonar, casaram-se e viveram felizes para sempre.

O Guardião de Exú na Umbanda:

Obrigados pelos seus senhores a seguir a religião católica, os escravos cultuavam a Santo Antônio, acendendo grandes fogueiras.

Pelas crenças africanas quem controla o fogo é Exu, tornando assim Santo Antônio o Guardião de Exú (Orixá), crença que posteriormente foi absorvida pela Umbanda, sendo chamado Santo Antônio de Pemba ou Santo Antônio de Ouro Fino, ao qual prestamos as homenagens.

Na Umbanda que Santo Antônio é o mensageiro das palavras do bem, e o agente das forças mágicas da Umbanda desatando as demandas, protegendo as pessoas dos espíritos trevosos e encontrando e trazendo de volta o que estava perdido, auxiliando no destino dos encarnados, juntamente com os Exus da Umbanda.

Deve-se ressaltar que Santo Antônio não é sincretismo de Exú (Orixá), já que a “Imagem do Santo, não está assentada sob o Orixa Exú, por este motivo e que o Santo é considerado Guardião.

E para aqueles que acreditam é necessitam de um auxílio em uma causa perdida, encerro com o Responsório de Santo Antônio, pela tradição deve ser deito por 9 dias, sempre no mesmo horário, independente de se ter atingido a graça desejada.

Se milagres desejais

Recorrei a Santo Antônio

Vereis fugir o demônio

E as tentações infernais.

Recupera-se o perdido

Rompe-se a dura prisão

E no auge do furacão

Cede o mar embravecido.

Pela sua intercessão

Foge a peste, o erro a morte

O fraco torna-se forte

E torna-se o enfermo são.

Todos os males humanos

Se moderam e retiram

Digam-no aqueles que o viram

E digam-nos os paduanos.

Rogai por nós Santo Antônio, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

 

“VIVA CADA DIA MELHOR”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *